Assim como as pessoas, alguns porcos são otimistas, outros não

Assim como as pessoas, alguns porcos são otimistas, outros não

Descoberta de variações de ânimo entre porcos geram implicações para o bem-estar animal.

Alguns porcos tendem a ser otimistas, enquanto outros possuem uma visão mais pessimista, segundo uma nova pesquisa que pode gerar implicações para o bem-estar animal.

Publicada na revista Biology Letters, é a primeira pesquisa a mostrar que o humor e a personalidade interagem em um animal, afetando seu discernimento. Isso acontece com seres humanos o tempo todo, mas o efeito nunca havia sido documentado em outra espécie, muito menos em porcos.

“Descobrimos que os porcos com personalidade mais extrovertida são otimistas quase o tempo todo, enquanto os porcos menos extrovertidos só são otimistas em um cercado confortável e com muita palha para brincar”, explicou a autora do estudo, Lucy Asher. “Em um cercado menos agradável, eles são bastante pessimistas”.

Asher, pesquisadora do Instituto de Neurociência da Universidade de Newcastle, e sua equipe abrigaram grupos de porcos em dois tipos de ambiente. Um refletia as condições comerciais padrão e o outro era mais amplo e confortável, com uma grande quantidade de palha fofa. Depois que os porcos se acostumaram aos recintos durante algumas semanas, os pesquisadores escolheram 18 porcos de cada ambiente para treiná-los e testar seu discernimento.

“Para isso, ensinamos a cada porco que, em um canto da sala de treinamento, havia um pote com doces de chocolate — especificamente M&Ms, que os porcos adoram —, e no lado oposto, um pote com grãos de café, que acham amargos”, explicou Lisa Collins, pesquisadora da Escola de Ciências da Vida da Universidade de Lincoln e coautora do estudo, acrescentando que o café não prejudica os porcos.

Depois de uma série de testes, os porcos aprenderam a escolher o pote no canto onde esperavam encontrar M&Ms, e a evitar o pote no canto onde sempre havia grãos de café.

Os pesquisadores então colocaram um pote diferente em outros lugares para ver como os porcos reagiriam. Alguns se dirigiram alegremente para o pote, confiantes de que encontrariam seus doces favoritos, mas outros se comportaram de forma pessimista, como se esperassem que o pote contivesse grãos de café.

Os porcos que se mostravam confiantes na maior parte do tempo permaneceram otimistas, independentemente do recinto em que viviam. Já os pessimistas só se tornaram otimistas depois de passar algum tempo no recinto confortável. Esses indivíduos foram considerados mais “reativos” e vulneráveis às mudanças, enquanto os porcos mais confiantes pareciam ter uma “reserva interior” de otimismo para lidar com os desafios da vida.

Ao que parece, o otimismo e o pessimismo são traços bem mais comuns no reino animal – incluindo os insetos – do que se pensava. “Pesquisas anteriores em outras espécies concluíram que o humor dos animais pode ser influenciado por diversos fatores, incluindo o ambiente em que vivem”, explicou Collins. “Já a personalidade pode ser uma combinação entre genética e ambiente”.

As descobertas sugerem que não existe uma solução única para os problemas associados ao bem-estar animal. “Indivíduos diferentes, mesmo os que foram criados para ter as mesmas características para fins comerciais, são exatamente isso: indivíduos”, explica Collins. “Mudanças para melhorar as condições podem ser benéficas para alguns, mas não necessariamente para todos. Portanto, é preciso observar de perto os indivíduos, mesmo quando se tomar decisões que afetam populações inteiras”.

Fonte: Brasil Discovery

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s