Rio: ONGs denunciam maus-tratos de animais e falta de higiene na Fazenda Modelo

Rio: ONGs denunciam maus-tratos de animais e falta de higiene na Fazenda Modelo

 

RIO – Defensores de animais relatam maus-tratos, falta de higiene e até o uso de castração química no Centro de Proteção Animal da Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (Sepda), instalado na Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Devido a inúmeras denúncias, a Comissão dos Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio fez uma vistoria no local no último dia 15 para atestar as condições do espaço, que tem 13 mil metros quadrados e é o principal abrigo de aminais da prefeitura. Atualmente, com 839 bichos.

Os vereadores Luiz Carlos Ramos Filho (PTN) e João Ricardo Ribas (PMDB) estiveram no local acompanhados de representantes da sociedade civil, que afirmam terem sido constatados vários problemas. Após a visita, foi elencada uma lista de medidas urgentes que devem ser implementadas nas instalações.

VEJA IMAGENS DOS ANIMAIS DA FAZENDA MODELO

  • Gaiola suja de fezes. Segundo cuidadores, a situação se repete diariamente. Foto: Divulgação

  • Gaiolas de gatos sujas e com água contaminada por fezes / Foto: Divulgação

  • Gaiolas de gatos sujas e com Água contaminada por fezes / Foto: Divugação

  • Na foto, uma gaiola com água misturada com ração, e a outra com recipiente virado/ Foto: Divulgação

  • Gaiola com Fezes e com recipiente de Água sujo: / Foto Divulgação

  • Protetores relatam mau cheiro no local / Foto Divulgação

— Inicialmente, o foco foi verificar as condições de habitabilidade dos animais lá abrigados, como cães, felinos e também equinos. Agora estamos avaliando a situação e vamos fazer um relatório, que será encaminhado à Sepda para que ela tome as providências necessárias. Realmente, as instalações de lá estão inadequadas. Também é preciso mais funcionários para cuidar dos animais. Além disso, encontramos ração de menos qualidade, mas a subsecretaria disse que essa questão já está sendo resolvida — afirmou Luiz Carlos Ramos Filho.

Para o vereador, o ideal é reformular totalmente a Fazenda Modelo:

— Aquilo é uma colcha de retalhos. Ali poderia ser feito um grande centro de atendimento animal, com hospital veterinário, postos de vacinação e tudo mais. Tem que reformular toda a estrutura. Mas é um programa de suma importância para a população. O poder público precisa ver essa questão.

Segundo os protetores, durante a visita foram encontrados gatos com esporotricose e tantos outros em gaiolas, em situação de maus-tratos. Eles sugerem a construção de espaços de alvenaria para manter os animais enfermos, que necessitam isolamento.

Voluntários divulgaram fotos que mostram a situação do local. Nas imagens, é possível ver as gaiolas sujas onde ficam os gatos. Alguns animais comem e bebem em recipientes com fezes. De acordo com eles, o canil aparece completamente inadequado e com cheiro de xixi insuportável.

Segundo a veterinária Andrea Lambert, da ONG Anida (Associação Nacional de Implementação dos Direitos dos Animais), alguns animais chegam no espaço ainda filhotes e ali crescem presos em pequenas gaiolas, sem conseguir se movimentar.

Além das péssimas condições relatadas, cuidadores afirmam que dois cães sofreram castrações química no dia 11 de maio. Trata-se de uma injeção que deixa os machos inférteis. O procedimento ainda não foi regulamentado no município. A ONGs acusam a prefeitura de estar desrespeitando um decreto municipal (Decreto 19.432, de 1º de Janeiro de 2001), que proíbe a prática de vivisseção e de experiências com animais nas instituições veterinárias públicas municipais.

— Perdemos duas chances de adoção para um cão porque ele estava em quarentena de 30 dias após passar pela castração química. Os funcionários estão sem receber a dois meses e estão sendo ameaçados. Não podem tirar fotos nem fazer vídeos do local, que são ameaçados de demissão. A situação está insustentável — disse Raquel Barreto, que afirma ter sido demitida na última segunda-feira por ter participado de uma audiência pública na Câmara do Rio sobre a situação da Fazenda Modelo e também por ter comentado o caso nas redes sociais. Ela era responsável pelo setor de doação de animais da Fazenda Modelo.

A subsecretária de Promoção e Defesa dos Animais, Suzane Rizzo, disse que as denúncias não procedem.

— São informações falsas. Essas pessoas estão chateadas porque tivemos que fazer uma série de mudanças na Fazenda, trocar algumas pessoas. Isso gerou insatisfação — alega a médica veterinária.

Sobre o relato de uso de castração química no local, Suzane Rizzo afirmou que isso é uma inverdade.

— Nós fazemos a castração tradicional com cirurgia. Isso é uma briga política. Temos vários mutirões de castração. Estamos com parcerias com universidades. É claro que, com poucos recursos, temos dificuldades. Encontrei, por exemplo, uma dívida de R$ 1,5 milhão da antiga gestão. Mas estamos com muito enfoque nos animais — disse a subsecretária, informando que no início de junho será inaugurado o primeiro posto de saúde animal em Santa Cruz, na Zona Oeste.

— Será um posto de castração que vai ter vacinação e, futuramente distribuição de remédio para esporotricose. A instalação será num contêiner com ar condicionado para que o bem estar da população, enquanto ela aguarda o atendimento aos animais.

VEJA AS MUDANÇAS SUGERIDAS PELOS CUIDADORES DE ANIMAIS

Após visita ao local, a Comissão dos Direitos dos Animais da Câmara do Rio sugeriu algumas mudanças a serem adotadas na Fazenda Modelo. Confira as sugestões:

– Providenciar vacinas suficientes para atendimento aos animais que, porventura, não tenham sido vacinados.

– Fixar prontuários médicos nas gaiolas dos animais alojados.

– Apresentar à comissão certificado de dedetização do local.

– Fazer contato com a Comlurb para imediato corte de grama, retirada de entulhos, limpeza de valas e matos em toda a extensão da Fazenda Modelo.

– Colocar instalações adequadas para animais enfermos.

– Colocar azulejar nos canis.

– Preservar higiene das instalações e pintar as mesmas.

– Repor profissionais demitidos.

– Aumentar a equipe de tratadores e auxiliares de enfermagem para atendimento 24 horas.

– Instalar divisões para manter gatos sadios separados dos testados para Fiv/Felv positivo.

– Solução adequada para animais apreendidos e que aguardam decisão judicial.

– Providenciar compra de medicamentos para atender qualquer necessidade de saúde dos animais abrigados seja cachorro, gato ou cavalo.

– Separar cães medrosos de outros que os aterrorizam.
Fonte: O Globo
Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/ongs-denunciam-maus-tratos-de-animais-falta-de-higiene-na-fazenda-modelo-21417920#ixzz4iiVsaQGm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s