Documentário expõe espancamento de tigres obrigados a tirar selfies

Documentário expõe espancamento de tigres obrigados a tirar selfies

A vida sombria de alguns tigres envolve o espancamento frequente com varas de metal enquanto visitantes posam com eles para tirar selfies.

Investigadores infiltrados filmaram secretamente dois parques polêmicos na Tailândia para um novo documentário da BBC que expõe a exploração animal.

Tigre explorado para selfie pela indústria de turismo

Usando câmeras escondidas, os dois britânicos flagraram filhotes de tigre em jaulas estreitas no Sriracha Tiger Zoo e animais adultos acorrentados e sendo forçados a rugir para as fotos com turistas no Million Years Stone Park, ambos perto de Bangkok.

A escritora Katie Stacey e seu namorado Luke Massey, um fotógrafo da vida selvagem, fingiram ser turistas e ficaram chocados com o que testemunharam em ambos os parques.

Existem apenas 250 tigres na natureza nesta região, explicou Katie, sendo que cerca de 1.500 é mantida em cativeiro nessas instalações.

O Million Years Stone Park é especialista em “selfies com tigres rugindo”.

O vídeo mostra belos tigres adultos com correntes ao redor de seus pescoços em uma plataforma, pois um número interminável de turistas se revezava para tirar uma foto com eles.

Foto de Katie dando mamadeira a bebê tigre

Pouco antes das imagens serem capturadas, um adestrador é visto repetidamente batendo no felino com uma barra de metal em seu pescoço e em seu peito até ele rugir.

Um turista salta de susto quando o tigre move a cabeça para trás e ruge em protesto.

Katie diz que em outros lugares do parque, vários tigres extremamente magros caminham pelos seus recintos de concreto.

Falando sobre as condições dos animais, Jan Schmidt-Burbach, veterinário e especialista na vida selvagem que trabalha para a World Animal Protection explica: “Não há nenhum benefício em manter esses tigres para fins de proteção. Há falta de higiene, de boa alimentação. É totalmente inaceitável”.

O cenário não é melhor no segundo parque visitado pela equipe; o infame Sriracha Tiger Zoo, que explora 350 grandes felinos.

Os tigres adultos foram filmados em pequenos recintos de concreto sem nenhum estímulo. Um par luta. Porém, o foco deles está em seus filhotes, mostra a reportagem do Daily Mail.

Tigre exibe sinais de medo diante de adestrador com vara

De acordo com o Schmidt-Burbach, o zoológico está envolvido na indústria da “criação em velocidade”, na qual os bebês tigres são removidos à força de suas mães e colocados em jaulas pequenas para que os turistas possam alimentá-los.

Por 200 baht (£ 4,50), os visitantes do parque podem segurar o tigre e lhes dar leite durante alguns instantes enquanto a foto é tirada, antes de o filhote ser passado para o próximo da fila.

“Eles estão sendo manipulados, apenas jogados de colo em colo”, observa Katie.

No que será um encontro cruel, Katie assume sua vez. Assim que sua foto é tirada, o adestrador arranca o filhote do seu colo e diz que ele está cansado.

O Sriracha Tiger Zoo explora 350 tigres

“Ele não parece cansado, parece realmente com fome”, diz ela, enquanto o filhote se arrasta para segurar a garrafa.
É um fim desolador para um dia triste.

“Os turistas precisam perceber que sua experiência única na vida de serem retratados com um tigre significa uma vida de crueldade para o tigre”, enfatiza Schmidt-Burbach.

Falando mais amplamente sobre a indústria de turismo animal como um todo, ele observa: se você pode montar sobre o animal, posar com ele ou abraçá-lo, é provável que haja crueldade envolvida.

Fonte: Anda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s