Camundongos são eletrocutados e mortos em universidade

Camundongos são eletrocutados e mortos em universidade

Em um experimento recente na Temple University, camundongos que foram geneticamente modificados para ter uma condição semelhante à doença de Alzheimer receberam choques elétricos e foram forçados a executar tarefas confusas e estressantes apenas para demonstrar algo já conhecido

 

O experimentador queria observar os efeitos do azeite sobre as habilidades de memória e aprendizado dos animais.

Camundongos torturados em testes

Então ele os dividiu em dois grupos: um que recebeu uma alimentação com azeite virgem extra e o outro que foi alimentado sem o óleo. Todos os camundongos foram submetidos à mesma tortura.

Os camundongos vulneráveis foram colocados em novos ambientes com pisos eletrificados e eletrocutados repetidamente.

Em outros experimentos, os animais, que não gostam de nadar, foram jogados na água e obrigados a nadar até encontrarem uma plataforma elevada para conseguir algum alívio da situação extremamente angustiante.

Em seguida, eles foram assassinados e seus cérebros examinados.

Toda a brutalidade ocorreu apenas para comprovar o que a pesquisa em seres humanos mostrou há anos: que o azeite é ótimo para o cérebro.

Até mesmo o explorador do estudo admitiu que as pessoas que possuem  uma dieta mediterrânea, que é rica em azeite, apresentam menor risco de desenvolver demência. Com essa alimentação, deficiências cognitivas leves também possuem menos chances de progredir para doenças neurodegenerativas mais graves.

Novamente, os camundongos provaram ser pobres substitutos para os seres humanos com Alzheimer.

A taxa de falha clínica para novas drogas para tratar a enfermidade é de 99,6%. Em uma década de experiências, não houve novas descobertas que possam retardar a progressão da doença, reportou a PETA.

Acredita-se que a principal razão para este fracasso é a insistência dos cientistas em explorar camundongos como “modelos”. A  maioria das drogas que funciona em camundongos simplesmente não têm o mesmo resultado em seres humanos.

Nenhum animal deveria ter que suportar uma vida de tortura em laboratórios estéreis. Persistir no uso de seres inocentes quando há cada vez mais métodos livres de crueldade e com uma eficácia maior mostra a covardia e o retrocesso da ciência.

Fonte: Anda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s